Camaçarí / BA - 26 de Junho de 2022
Publicado em 06/02/2022 12h08

STT Camaçari apreende veículos com cobrança de tarifa ilegal

.
Por: Visão Diária Ascom

A Prefeitura de Camaçari, por meio da Superintendência de Trânsito e Transporte Público (STT), tem realizado diversos diálogos com os representantes das cooperativas de transporte que atuam no município, de modo a buscar alternativas e meios de atender alguns pleitos apresentados pela categoria, inclusive no que diz respeito ao aumento da tarifa. No entanto, na terça-feira (1º/2), a STT recebeu um volume de reclamação de passageiros, informando sobre o aumento das tarifas de transporte feito pela Cooperativa União de Transporte (Cooperunião), que assiste a população da orla.

Imediatamente, o diretor-superintendente, coronel Alfredo Castro, solicitou a verificação da veracidade do aumento da passagem do transporte, sem autorização da gestão municipal. Diante da constatação positiva, numa perspectiva de dialogar e solucionar o transtorno causado para a população, o gestor da STT convocou e se reuniu com representantes da Cooperunião e da Cooperativa de Transporte Alternativo e Empresarial de Camaçari (Cooastac) nesta quarta-feira (2/2).

"O aumento foi feito por conta própria e isso não vamos permitir. O reajuste das tarifas é ilegal e descumpre o que determina a Lei, que prevê que seja feito por meio de Decreto Municipal", explicou o coronel Castro ao acrescentar que a Cooastac não aumentou os valores, mas que foram convidados a participar da reunião para serem alertados quanto à ilegalidade da iniciativa.

Durante o encontro, os cooperativados pediram para realizar uma reunião entre os seus associados na manhã desta quinta-feira (3/2), ocasião em que daria um posicionamento sobre o acatamento de retornar ao valor previsto em decreto. O prazo dado foi até o meio-dia desta quinta, porém os membros da cooperativa pediram mais um prazo para retornar ao valor da passagem anterior.

A solicitação de prorrogação não foi aceita pela gestão, o que motivou que o poder de fiscalização adotasse medidas de apreensão dos veículos da Cooperunião, por não estarem respeitando a legislação.  Após esse posicionamento, a cooperativa decidiu recolher seus veículos para as garagens.

O coronel salienta que o prazo expirou e até o momento continua sendo cobrado o valor indevido. Diante disso, a determinação da superintendência é notificar e recolher todos os carros que estão confrontando a determinação da gestão e se mantêm em circulação.  "Vamos fiscalizar e manter a legalidade no município, os carros que estiverem com o valor acrescido serão recolhidos para o pátio da autarquia", disse o coronel Castro de forma categórica.

Publicidade

Comente essa notícia