google.com, pub-3154640208934295, DIRECT, f08c47fec0942fa0
Camaçarí / BA - 16 de Agosto de 2022
Publicado em 18/02/2022 11h10

Bombeiros esperam encontrar vítimas com vida em Petrópolis; tragédia já deixa 122 mortos e 116 desaparecidos

Durante a madrugada desta sexta-feira (18), sirenes no Morro da Oficina, um dos locais mais devastados pela tempestade que destruiu a cidade, voltaram a tocar. Ao todo, apenas 57 corpos foram identificados.
Por: R7.COM

Subiu para 122 o número de mortos na tragédia das chuvas em Petrópolis, na região serrana, na madrugada desta sexta-feira (18). Ao menos 116 pessoas estão desaparecidas na cidade, segundo a última atualização da Polícia Civil.

Na tarde desta quinta-feira (17), voltou a chover no município, que há dois dias foi castigado pela pior tempestade dos últimos 90 anos. A Defesa Civil acionou sirenes em 14 localidades e emitiu alerta de mobilização para evacuação de moradores das áreas de risco do Quitandinha.

Ruas voltaram a ficar alagadas após pancada de chuva

Ruas voltaram a ficar alagadas após pancada de chuva

RECORD TV RIO

Em vídeos compartilhados nas redes sociais, foi possível ver que as ruas voltaram a ficar alagadas em alguns pontos, como no bairro Alto da Serra. Ainda há previsão de chuva até sábado (19).

As autoridades também continuam em alerta para riscos de novos deslizamentos. A rua Nova, na comunidade 24 de Maio, e a rua Teresa, na Vila Manoel Correa, foram interditadas. A Defesa Civil realizou a evacuação das áreas.

"De acordo com a análise de geólogos da Defesa Civil, a situação requer a ação de caráter preventivo, tendo em vista as grandes dimensões do bloco rochoso existente na região, que está localizado a montante da Rua Nova, em meia encosta", informou por meio de nota. 

As pessoas desalojadas foram encaminhadas para a Escola das Comunidades Santo Antônio, já que a estrutura para acolhimento da população que funcionava no bairro teve que ser desmobilizada por conta do risco no momento.

A orientação é que a população busque locais seguros, como os pontos de apoio. De acordo com a Defesa Civil, essas estruturas estão ativas nas escolas Marcelo Alencar, na avenida Amaral Peixoto; Chiquinha Rolla, na rua Campos, n° 1; e Escola Paroquial Bom Jesus, na rua Dr. Thouzet, n° 820.

Cerca de 500 bombeiros atuam nas buscas por vítimas em Petrópolis, com a ajuda de cães farejadores, viaturas do tipo 4x4 e botes, além de aeronaves das forças de segurança do Estado.

Comente essa notícia